Itaúna é destaque na geração de emprego com carteira assinada na Região

  • 13/jan/2020

Segundo dados disponibilizados pelo Ministério do Trabalho, ITAÚNA encerrou novembro de 2019 com a geração de 686 novos postos de trabalho, sendo 10.053 admissões contra 9.367 desligamentos ao longo do ano.

 

Isso coloca o município em 2º lugar no ranking geral da região, apenas depois de Nova Serrana, com 3.112 novos postos de trabalho, conforme levantamento feito pela ACE/CDL Itaúna, envolvendo 56 municípios. Vale destacar que Nova Serrana, devido à sua vocação e especialidade calçadista, tem batido recordes de vendas para exportação e contratado um número maior de trabalhadores por este motivo.

 

O QUADRO REGIONAL E NACIONAL

 

O estudo citado releva que em nov/2019 a região perdeu -87 postos de trabalho (9.691 admissões menos 9.778 desligamentos), acumulando superávit de +10.664 no período jan-nov de 2019. O saldo de nov/2019 é 90% maior que nov/2018, quando foram perdidos -870 postos de trabalho. 36 cidades da região (59,02%) ficaram com saldo positivo em nov/2019, 03 cidades ficaram com o saldo zerado (4,92%) e 22 ficaram com saldo negativo (36,06%).

 

Números de Minas Gerais em nov/2019: 145.458 admissões menos 137.076 desligamentos = +8.382 postos de trabalho. Acumulado no período jan-nov de 2019: 1.706.807 admissões menos 1.580.796 desligamentos = +126.011 postos de trabalho. O saldo de nov/2019 é 2183,92% maior que nov/2018, quando foram gerados +367 postos de trabalho.

 

 

Números do Brasil em nov/2019: 1.291.837 admissões menos 1.192.605 desligamentos = +99.232 postos de trabalho. Acumulado no período jan-nov de 2019: 14.721.885 admissões menos 13.854.948 desligamentos = +866.937 postos de trabalho. O saldo de nov/2019 é 69,16% maior que nov/2018, quando foram gerados +58.664 postos de trabalho.

 

NÚMEROS PROMISSORES

 

Apesar do quadro vigente ainda ser de crise econômica, os números demonstram que o pior ano da década atual para a geração de emprego com carteira assinada foi 2015. De lá pra cá os números são promissores e indicam recuperação gradativa do emprego em todos os níveis (nacional, estadual e municipal).

 

 

Para o Presidente da CDL Itaúna, empresário Maurício Nazaré, “É preciso que tenhamos ânimo e enxerguemos o copo com água pela metade com o olhar de que ele está meio cheio (e não meio vazio). Daí a importância dos empreendedores, que avançam sobre o ambiente de crise com coragem e buscam vencer os obstáculos, gerando trabalho, emprego, renda, impostos e desenvolvimento econômico. No caso de ITAÚNA, por exemplo, cujo salário médio dos trabalhadores é de 2,3 salários mínimos (segundo o IBGE), é possível afirmar que os 686 novos postos de trabalho aqui gerados representam quase 1,6 milhão de reais injetados na economia local mensalmente. O comércio agradece. O gráfico abaixo mostra de forma muito clara a recuperação econômica que vem ocorrendo em ITAÚNA nos últimos 3 anos. Nosso desejo é que o ocorrido em 2015, quando o município perdeu -1.439 postos de trabalho, fique no passado“, concluiu o Presidente Maurício Nazaré.

 

 

 

Importante ressaltar que Itaúna cresceu muito no número de contratações para o setor de serviços, representado pela CDL/ACE Itaúna, e que revela-se como vocação, principalmente devido a sua estratégica localização geográfica, estando entre meio às duas principais rodovias federais do Estado, BR-262 e BR-381, e a principal rodovia estadual, a MG-050, interligadas pela MG-431, a qual o Presidente Maurício tem chamado de “o Anel Rodoviário das Regiões Centro-Oeste e Central do Estado de Minas Gerais”.

 

 

Por fim, Maurício Nazaré alerta: “Fiquemos atentos a esta vocação para sermos a cada dia mais atraentes para a instalação de empresas prestadoras de serviços de toda natureza, mas principalmente, para os ramos de tecnologia, logística, empreiteiras e serviços especializados, que tendem a se destacar nos próximos anos”.

 

 

Já o Presidente da ACE Itaúna, empresário Afonso Henrique Lima, destacou a importância de cada segmento empresarial na retomada do emprego com carteira assinada em ITAÚNA, em especial os setores de Comércio/Serviços, Construção Civil e Indústria de Transformação, conforme demonstrado na tabela abaixo. “Estamos no caminho certo“, comentou Afonso Henrique. “A união de forças entre as entidades de classe e o poder público contribui para a criação de um ambiente propício para o fomento de negócios“, completou ele.

 

 

 

EXTRATO DO EMPREGO EM ITAÚNA 2019
SETORES JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV TOT
Extrativo Mineral 2 6 0 -2 -3 5 1 -1 2 -2 -1 +7
Indústria de Transformação -97 50 38 1 22 -74 109 50 -26 -66 +31 +38
Serv. Ind. de Ut. Pública 0 -1 1 1 0 0 11 0 1 -1 -2 +10
Construção Civil 19 -8 93 -3 34 107 175 -87 102 -92 -23 +317
Comércio Atacadista -9 3 9 15 16 3 20 -16 -2 -34 -4 +1
Comércio Varejista -57 22 30 -12 -66 4 6 18 12 -4 +57 +10
Serviços -31 68 77 -14 57 18 39 -40 81 41 +3 +299
Agropecuária e afins 1 6 -7 5 3 11 3 -5 -18 5 0 +4
TOTAIS -172 146 241 -9 63 74 364 -81 152 -153 +61 +686

 

 

O Presidente Afonso Henrique lembrou ainda que o município de Pará de Minas, que está na Região Central, mas é limítrofe com Itaúna, gerou 1.021 novos empregos no mesmo período e tem se destacado devido à sua vocação e o crescimento expressivo do Agronegócio, que é ainda pouco explorado em Itaúna. “Portanto, devemos investir mais esforços no desenvolvimento deste setor. A ACE Itaúna está atenta a esta carência e pronta para ajudar a fomentar este importante segmento”, disse Afonso Henrique.

 

 

Compartilhe: