maio 28, 2015

Nenhum comentário

O poder do boca a boca

Estudos recentes têm mostrado que o alcance de longo prazo de referências boca a boca é cerca de 2,5 vezes mais elevado do que o da publicidade.

Muitas vezes, nós subestimamos o impacto gerado pelo boca a boca, então segue  um conselho: não faça isso!

Estudos recentes têm mostrado que o alcance de longo prazo de referências boca a boca é cerca de 2,5 vezes mais elevado do que o da publicidade.

E ao longo do tempo esse alcance do boca a boca, é aproximadamente 20 vezes maior do que a de eventos de marketing e 30 vezes maior do que a presença na mídia tradicional*.

Acredita-se que a palavra do boca a boca tem um tempo muito maior para transitar entre as pessoas do que o marketing tradicional, e isso tende a continuar afetando as ações de consumo por períodos muito mais longos após o contato inicial.

Nesse cenário, a confiança é fundamental. As pessoas tendem a confiar em seus amigos, familiares e pessoas formadoras de opinião, mais do que confiar em qualquer outra fonte de informação.

Na verdade, quase metade de todos os americanos dizem que vão ser influenciados por uma avaliação de seus amigos ou familiares.

Em tempos digitais, o boca a boca é ainda mais um fator crucial em 20 a 50 por cento de todas as decisões de compra, especialmente para as de primeira viagem ou compras caras onde as opiniões confiáveis importam.

Preparando a sua marca

A gestão estão focando cada  vez mais nas experiências dos clientes e, como resultado, as pessoas estão construindo uma conexão e colocando um significado que vai além dos termos monetários.

Todo contato com o seu cliente tem com qualquer aspecto de sua organização é uma experiência que eles têm com a sua marca.

A responsabilidade de assegurar que a experiência supere as expectativas e torne-se o assunto de conversas positivas é, portanto, com toda a organização.

Os seguintes conhecimentos são fundamentais para alcançar um boca a boca positivo para a sua marca:

1. Seja claro sobre o seu posicionamento de marca e sobre o seu cliente ideal

Sabendo para quem a sua mensagem é dirigida e o que sua marca representa, permite que você seja fiel a seus valores e consistente em suas mensagens.

Isso cria uma imagem clara, concisa e consistente de sua empresa, o que significa que o seu cliente não terá nenhuma dificuldade em saber o que a sua marca representa.

2. Seus funcionários devem “viver e respirar” o seu posicionamento de marca

Cada pessoa na empresa deve entender completamente como sua marca está posicionada e do papel que desempenham na entrega da experiência do cliente que você está se esforçando para oferecer.

Mecanismos internos devem torná-los responsáveis por entregar essa experiência, e os processos devem lhes permitir gerir essas ações.

3. Ter uma história de marca convincente

Poucas empresas têm uma história poderosa para contar sobre a sua marca. No entanto, uma história convincente não só estabelece uma empresa para além da concorrência, como também fornece ao seu cliente uma oportunidade de compartilhar informações interessantes que podem servir para elevar o seu perfil.

4. Crie uma experiência inigualável ao cliente que fomenta a lealdade à sua marca

Onde quer que seu cliente escolha para interagir com você, a experiência que ele tem deve ser consistente em todos os canais e exceder as suas expectativas.

As experiências mais positivas que ele tiver vai torná-lo um parceiro valioso, fazendo com que a sua fidelidade à sua marca cresça cada vez mais.

Agora, vale ressaltar que quando tudo estiver dito e feito, é importante lembrar que você não pode controlar o boca em boca. Você pode, no entanto, influenciá-lo com todas as interações que a sua marca tem.

Fonte: Band Lov

maio 28, 2015

Nenhum comentário

Curso Administração Financeira

Será realizado nos dias 09, 10, 11, 16 e 17/06, de 19 às 22h, no Edifício CDE, o curso Administração Financeira, com o instrutor, Lázaro Ribeiro. O curso faz parte da programação da Agenda de Treinamentos da ACE Itaúna e CDL Itaúna referente ao mês de junho de 2015.

O curso abordará sobre Administração do capital de giro; Elaboração e análise de balanço gerencial; Demonstrativos de resultados; Elaboração e análise de planejamento financeiro.

Para mais informações e inscrições, interessados deverão procurar o setor de Educação e Desenvolvimento da ACE Itaúna e CDL Itaúna através dos telefones (37)3249-1751 ou 3249-1753, ou ainda no Edifício CDE, à rua Capitão Vicente, 129, Centro, Itaúna.

maio 28, 2015

Nenhum comentário

ACE Itaúna e CDL Itaúna realizam o curso “Técnicas para Cuidadores de Idosos”

A população idosa no mundo e no Brasil vem aumentando rapidamente nas últimas décadas e a estimativa é que esse processo continue nas próximas. De acordo com projeções do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2050 a população de idosos será de 63 milhões de pessoas. Assim, segundo o Instituto, serão 172 idosos para cada 100 jovens.

Segundo informações do Ministério da Saúde, existem aproximadamente 3,8 milhões de idosos com algum grau de dependência no país. Por isso, o mercado de trabalho para os chamados cuidadores de idosos já tem bastante demanda e a tendência é aumentar cada vez mais.

Mantendo a tradição de referência e qualidade em qualificação profissional, o setor de Educação e Desenvolvimento das entidades promove mais um curso de sucesso – Técnicas para Cuidadores de Idosos. As aulas acontecerão sempre aos sábados, de 08 às 12h, nos dias 13, 20, 27/06, 04, 11, 18, 25/07 e 01/08, nas dependências do Edifício CDE.

Com uma visão ampla, relacionando às necessidades da sociedade, o treinamento tem papel fundamental na capacitação de profissionais quanto a promoção de saúde e bem-estar, através de técnicas fundamentais no cuidado diferenciado com idosos.

De acordo com a coordenadora do setor de Educação e Desenvolvimento das entidades, Vanessa Carla Alves, “o curso promove resultados positivos, evitando internações e diminuindo o custo saúde dos pacientes. Seu principal objetivo é apresentar orientações teóricas básicas para a família, profissionais de saúde e cuidadores de idosos, no sentido de melhorar a qualidade de vida e o convívio na residência ou em instituições de longa permanência”, declara.

O curso será desenvolvido por profissionais de referência na área de Saúde, que  abordarão os seguintes temas como conteúdo programático: Higiene pessoal; Alimentação; Atividade física; Exercícios para treinar o equilíbrio, a força, a resistência e a flexibilidade; Prevenção e manejo de quedas do idoso; Transtornos mentais em idosos; Transtornos depressivos; Estatuto e direitos do idoso; Maus tratos e violência contra o idoso; Noções de primeiros socorros; Noções de cuidados de enfermagem; Principais doenças e seus cuidados; Cuidados no uso das medicações; Como melhorar a memória do idoso.

Para mais informações e inscrições, interessados deverão procurar o setor de Educação e Desenvolvimento da ACE Itaúna e CDL Itaúna através dos telefones (37)3249-1751 ou 3249-1753, ou ainda no Edifício CDE, à rua Capitão Vicente, 129, Centro, Itaúna.

maio 22, 2015

Nenhum comentário

Número de empresas com contas em atraso cresce 7,46% em abril

Para economistas do SPC Brasil, cenário econômico de baixo crescimento compromete fluxo de caixa das empresas.

O volume de empresas com dívidas atrasadas registrou nova alta no último mês de abril. De acordo com o indicador calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), a quantidade de empresas inadimplentes apresentou crescimento de 7,46% em abril de 2015 na comparação com o mesmo mês do ano passado.

 

Foi a terceira aceleração consecutiva no ano – em janeiro, a alta havia sido de 5,89% na base anual.

 

Já na passagem de março de 2015 para abril do mesmo ano, sem ajuste sazonal, houve crescimento de 1,82%  na quantidade de pessoas jurídicas inadimplentes. Além do aumento no número de empresas inadimplentes, a aceleração atingiu também a variação da quantidade de dívidas em atraso em nome de pessoas jurídicas: 7,01% a mais em abril deste ano, em relação a abril do ano passado, depois de atingir, em janeiro de 2015, o menor valor da série histórica (3,49%).

 

Na comparação mensal, isto é, entre abril de 2015 e março do mesmo ano, as dívidas com vencimento mais recente – atrasadas no período de até 90 dias – apresentaram crescimento de 9,51%, a maior alta para os meses de abril desde 2010.

 

Na opinião dos economistas do SPC Brasil, o dado demonstra que nos últimos meses os empresários brasileiros passaram a enfrentar um cenário mais adverso para pagamento de dívidas.

 

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, esclarece que a dificuldade dos empresários em manter os compromissos financeiros em dia está relacionada à atual conjuntura econômica de baixo crescimento, quedas da produção industrial, além de inflação e juros em patamares elevados.

 

“O resultado reflete o cenário econômico adverso de menor dinamismo da economia e maior restrição ao crédito, fatores que afetam a capacidade de pagamento tanto das famílias como das empresas”, explica a economista.

 

Comércio concentra quase a metade das dívidas não pagas

No mês de abril, todos os ramos da economia apresentaram crescimento no número de empresas inadimplentes. A abertura do indicador por segmento revela que o setor de serviços, composto principalmente por bancos e financeiras, foi o que apresentou maior crescimento: alta de 11,83% na comparação entre abril de 2015 contra o mesmo mês do ano passado.

 

A segunda maior alta ficou por conta das indústrias (8,36%), seguida pelos comerciantes (6,72%) e também pelas empresas que formam o ramo da agricultura (6,52%).

 

O setor do comércio concentra sozinho quase a metade (49,48%) do total de empresas que devem a outras empresas jurídicas.

 

Dentre os setores credores, ou seja, aqueles que deixaram de receber os valores que lhes são devidos, o segmento de serviços, que engloba bancos e financeiras – instituições responsáveis por conceder empréstimos e linhas de financiamento -, é quem mais se destaca, concentrando 70,85% de todas as dívidas no Brasil.

 

Sudeste lidera inadimplência

O Sudeste, responsável pela principal fatia do PIB nacional, é a região que concentra a maior parte das pessoas jurídicas inadimplentes (43,58%), seguido pelo Nordeste (19,38%) e pelo Sul (16,99%).

 

Os economistas do SPC Brasil esclarecem que a posição de destaque do Nordeste no ranking da inadimplência das empresas se explica pelo fato de a região ter crescido de modo muito acelerado nos últimos anos, com muitas empresas lidando ainda recentemente com os novos instrumentos de financiamento.

 

O maior crescimento no número de empresas inadimplentes também foi registrado pelo Sudeste, onde a quantidade de devedores aumentou 7,73%, seguido pelo Nordeste, cuja alta anual foi de 7,30%.

 

O avanço menos expressivo ficou por conta do Sul, cuja variação apresentada no período foi de 2,79%. As regiões Centro-Oeste e Norte apresentaram crescimento de 4,11% e 3,88%, respectivamente, na quantidade de empresas que não honraram compromissos financeiros.

 

Metodologia

 

Os indicadores de inadimplência das empresas sumarizam todas as informações disponíveis nas bases de dados do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito).

 

A abrangência é nacional, com informações de capitais e interior de todos os 26 estados da federação, além do Distrito Federal.

 

Fonte: SPC Brasil

maio 22, 2015

Nenhum comentário

69% dos consumidores já compraram réplicas ou produtos falsificados, mostra SPC Brasil

Preço mais baixo é justificativa para 59% dos consumidores. Praticamente metade dos usuários de produtos não originais esconde a compra.

Esbanjar uma camisa ou celular com marca famosa é um hábito antigo de pessoas de todas as classes sociais e idades. Porém, quando o produto é falsificado ou uma réplica, a satisfação pode dar lugar ao constrangimento.

É o que mostra um estudo inédito realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal Meu Bolso Feliz que buscou entender como funciona o mercado de réplicas e falsificados no Brasil e os motivos que levam o consumidor a esse tipo de compra.

A pesquisa revela que 69% dos brasileiros já compraram produtos não originais, principalmente roupas (39%), calçados (22%) e eletrônicos (17%).

Em números absolutos, isso representa que 45,3 milhões de pessoas já adquiriram réplicas ou produtos falsificados. Os itens mais comercializados são roupas, acessórios e calçados, e o público que mais compra é jovem, pertence à classe C e possui menor escolaridade.

Foi identificado na pesquisa que praticamente metade (49%) dos usuários de produtos não originais esconde a realidade da compra – principalmente pessoas até 55 anos, pertencentes à classe C e de menor escolaridade. Desses, 24% ficariam muito constrangidas caso alguém descobrisse.

Preço mais baixo dos falsificados facilita acesso a pirataria

De acordo com os dados levantados, a principal justificativa para a compra é o preço mais baixo. Segundo a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, o valor bem inferior ao de um produto original é o que facilita o acesso de pessoas com ao universo do luxo.

A pesquisa revela: oito em cada dez consumidores de falsificados ou réplicas (83%) comprariam os produtos originais, se pudessem.

“Para quem tem recursos financeiros inferiores aos valores dos produtos de luxo, a compra de falsificados é um dos mecanismos encontrados para inserir-se no mercado de marcas famosas”, diz a especialista. “A compra expressa o desejo de adquirir status, diferenciar-se dos outros, e sentir-se como parte de um grupo ‘exclusivo’ de pessoas”, explica.

48% dos compradores já foram enganados na hora da compra

Segundo a pesquisa do SPC Brasil, 48% dos entrevistados já foram enganados sobre a legitimidade dos produtos na hora da compra. “Entre réplicas e falsificados, muitas vezes é difícil diferenciar os produtos do original. Isso facilita a enganação por parte dos vendedores”, explica Kawauti. “O ambiente da compra pode ser um importante fator para o consumidor se atentar. Independentemente se for em uma loja de rua, shopping popular ou supermercados, é válido reparar na qualidade do produto e informações da marca que visam diferenciar o verdadeiro do falso.”

Cerca de 40% dos consumidores disseram não perceber as diferenças entre as réplicas e os produtos piratas, ainda que 43% acreditem que as réplicas têm qualidade superior.

Quando se observa a opinião dos que não compram produtos não originais, 63% afirmam que esses itens não possuem a mesma qualidade.

 

Porém, apenas uma em cada dez pessoas (12%) cita motivos éticos para evitar a compra de falsificados, ao dizer que não quer financiar o mercado ilegal.

Comércio ilegal representa prejuízo para a economia

Segundo o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, além da discussão sobre qualidade ou constrangimento do consumidor, a compra e venda de produtos não originais envolve problemas e discussões muito maiores. “O comércio de itens falsificados definitivamente representa um prejuízo para a economia do país e graves riscos para a saúde e o meio ambiente, uma vez que os produtos não passam pelas restrições do controle de qualidade impostas ao mercado legal da indústria”, afirma.

O presidente afirma, ainda, que frequentemente a fabricação de falsificados está inserida em um contexto de exploração da mão de obra, com baixíssimas remunerações e péssimas condições de trabalho.

“Esse mercado pode servir para financiar uma série de outras atividades criminosas”, alerta Pellizzaro. Estima-se que o mercado perca 30 bilhões de reais com a venda ilegal de produtos piratas, considerando apenas 13 segmentos da indústria, segundo o Fórum Nacional de Combate à Pirataria.

Fonte: SPC Brasil

maio 22, 2015

Nenhum comentário

Ações do Sindimei nos seus 25 anos

Concurso de Redação e Desenho – PREMIAÇÃO

O Sindicato Intermunicipal das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Itaúna – Sindimei, em parceria com a Escola Sesi Itaúna, realizou no dia 8 de maio de 2015 a entrega dos prêmios do 1º Concurso de Redação e Desenho promovido pela entidade.

Os vencedores da Categoria “Redação Ensino Médio” foram: Stéfanie Aparecida Soares Marques (1º ano), Dayane Silveira do (2º ano) e Heitor Magalhães Pereira Mourão (3º ano). Os alunos foram premiados com certificados de honra ao mérito, um delicioso kit de chocolates e, Dayane Silveira, faturou ainda uma mountain bike, com a melhor redação do Ensino Médio.

Já na categoria “Desenho Ensino Fundamental”, os contemplados foram: Beatriz Fernanda Pereira Evangelista (4º ano), Amanda Eduarda Januário Silva (5º ano) e Júlia Resende Souza (6º ano). Também premiados com certificado e kits de chocolates. A grande vencedora com o melhor desenho foi Amanda Eduarda, que também faturou uma mountain bike novinha.

O 1º Concurso de Redação e Desenho idealizado pelo Sindimei, nos seus 25 anos, em parceria com a Escola Sesi Itaúna, foi parte integrante da 40ª edição do PIC – Programa de Interação com a Comunidade, através de visitas técnicas realizadas ao Depósito de Resíduos Industriais Sindimei Tarcísio Cardoso de Sousa no dia 27 de março de 2015.

PDA – Programa de Desenvolvimento Associativo

Aconteceu durante todo o dia 13 de maio de 2015, na Sede do Sindimei – Edifício CDE, o Curso Como Atender a Fiscalização do Trabalho. O evento teve ótima participação e contou com a presença de 29 representantes das indústrias de Itaúna.

Jorge Cavalcanti Boucinhas Filho foi o consultor responsável pela condução do tema. Dentre vários assuntos tratados, podemos destacar: os cuidados que se deve tomar ao receber o fiscal do trabalho na empresa, documentação que pode ser exigida e os limites de atuação do fiscal do trabalho.

O Programa de Desenvolvimento Associativo (PDA) é um instrumento da Confederação Nacional da Indústria (CNI ) e das Federações de Indústria para fortalecer a representação sindical empresarial, a fim de aprimorar sua atuação na defesa de um ambiente de negócios favorável à competitividade da Indústria e ao crescimento sustentado do país.

Neste sentido, o Sindicato Intermunicipal das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Itaúna – Sindimei, nos seus 25 anos, em parceria com as entidades integrantes do CDE (ACE Itaúna, CDL Itaúna, Aconita e Sicoob Centro-Oeste), realizou a ação com o apoio incondicional da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), através da Assessoria de Relações Sindicais, garantindo assim, o sucesso total do evento.

O Custo de um Acidente do Trabalho no Ponto de Vista Pessoal, Profissional e Familiar

Wesley Almeida, vítima de um acidente do trabalho na área elétrica, foi o palestrante da noite do dia 20 de maio de 2015 nas dependências do Teatro SESI Vânia Campos.

O público foi presenteado com um depoimento sincero e emocionante que motivou a reflexão sobre a importância da segurança no trabalho e na vida.

Entre os temas muito bem abordados e ilustrados, podemos destacar: a vida antes da ocorrência de um acidente – projetos de VIDA; ordem de serviço; observâncias dos padrões de segurança; quebra dos padrões; ocorre o acidente; relato das falhas ocorridas; perdas dos membros superiores – choque elétrico; sensibilização de quanto custa um acidente no ponto de vista pessoal, familiar e profissional; porque houve uma grande transformação na vida do acidentado, na família e a todos que o rodeia; retomada da vida.

A palestra foi mais uma ação do Sindimei – Sindicato Intermunicipal das Indústrias, Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Itaúna, em comemoração aos seus 25 anos, em parceria com as entidades integrantes do CDE e com o SESI Itaúna.

Participaram do evento o presidente do Sindimei, Hyrguer Aloísio Costa, os diretores Ernani Santos, Fernando Antônio Franco e Giuliano Dornas Guimarães, empresas associadas e convidados.

maio 14, 2015

Nenhum comentário

ACE Itaúna apresenta filme documentário sobre os 50 anos da entidade

Associados, diretores, ex-dirigentes, presidentes das entidades irmãs, autoridades municipais, equipe das entidades e convidados participaram da apresentação do filme documentário sobre os 50 anos da Associação Comercial e Empresarial de Itaúna, realizada na noite desta quarta-feira (13/05), no Edifício CDE.

Logo no início do evento, o presidente da ACE Itaúna, Fernando Franco, agradeceu a presença de todos e comentou sobre a importância do registro histórico. “Nos reunimos hoje para relembrar a história que a Associação Comercial e Empresarial de Itaúna construiu no decorrer de seus 50 anos. Neste filme apresentamos um pouco da história, desde a fundação até os dias atuais. Destaco que só é possível chegar num momento como este através de um empenho forte de união”, declarou.

 

O filme contou com depoimentos de ex-dirigentes que detalharam momentos marcantes e importantes na construção histórica da entidade. Participaram do vídeo os senhores Afonso Henrique da Silva Lima, Ernani José dos Santos, Fabiano Parreiras, Gilson Elesbão, Jorge Vasconcelos dos Reis, José Leonardo de Oliveira, Marco Aurélio Gonçalves Nazaré, Meroveu Pereira Camargos e Messias Alves de Assis.

 

Ao final do evento, Fernando Franco e os diretores da ACE Itaúna, Ricardo Monteiro e Luciano Nunes, entregaram aos participantes do vídeo um kit especial do cinquentenário.

 

Depoimento do Presidente da ACE Itaúna, Fernando Franco
Nas comemorações do cinquentenário tivemos a oportunidade de realizar algumas ações importantes que evidenciaram a entidade e sua história.

 

Em setembro de 2014 realizamos o “Mérito Empresarial” com homenagem ao industrial, Sr. Cássio Machado (Intercast), que muito contribuiu e contribui com as entidades do CDE. Além disso, no fim do ano passado divulgamos um pouco da história da entidade nas redes sociais e em veículos de imprensa de Itaúna. Promovemos ainda a campanha de Natal de valorização das empresas itaunenses em parceria com a CDL Itaúna e diversos outros eventos com o selo dos 50 anos da ACE.

 

Recebemos a visita dos alunos da Apae de Itaúna que conheceram a ACE Itaúna e o CDE no dia 29 de abril deste ano, num importante trabalho de profissionalização dos alunos desta instituição. Temos um compromisso com o social e este tipo de atividade faz a diferença.

 

Outra ação importante é o concurso de redação “Prêmio ACE Itaúna 50 anos – Construindo nossa história”, que está sendo realizado com a participação de 2400 alunos de 14 escolas da rede pública e privada de Itaúna. Temos como compromisso levar o nome da entidade e sua história também para a comunidade itaunense, para que se sintam cada vez mais participantes.

 

O vídeo documentário que apresentamos hoje foi uma forma de evidenciar os principais acontecimentos destes 50 anos e, principalmente, valorizar aqueles que fizeram e fazem parte da construção desta importante entidade. Agradeço em nome de toda a diretoria da Associação Comercial e Empresarial de Itaúna os senhores Afonso Henrique da Silva Lima, Ernani José dos Santos, Fabiano Parreiras, Gilson Elesbão, Jorge Vasconcelos dos Reis, José Leonardo de Oliveira, Marco Aurélio Gonçalves Nazaré, Meroveu Pereira Camargos e Messias Alves de Assis, pela importante contribuição no registro deste filme.

 

Na oportunidade, destacamos e agradecemos todas as diretorias que fortaleceram a história da ACE Itaúna. Cumprimento a todos citando os presidentes da ACE Itaúna: Heli Soares Saldanha (IN MEMORIAM), José Leonardo de Oliveira, Valdir Corradi, Roberto Fernandes (IN MEMORIAM), Tarcísio Cardoso de Sousa (IN MEMORIAM), Luis de Oliveira Guimarães (IN MEMORIAM), Alvimar Viana, Alberto Corradi, Afonso Henrique da Silva Lima, Pedro Paulo Drumond, Marco Aurélio Gonçalves Nazaré, Luiz Lage de Faria, João César Santos Vieira e Fabiano Salera Parreiras.

 

Agradecemos também a dedicação de todos os profissionais que trabalham e que já estiveram nas entidades, responsáveis pela construção da história da ACE Itaúna. Aos colaboradores das entidades o nosso muito obrigado pelo empenho de sempre.

 

Hoje, sem dúvidas, conhecemos um pouco mais da história desta entidade que muito fez por nossa cidade, empresas e população e, sem dúvidas, estará à frente com as entidades irmãs (CDL Itaúna, Sicoob Centro-Oeste, Sindimei e Aconita), na união do CDE, para mais conquistas nos próximos 50 anos. MUITO OBRIGADO

maio 14, 2015

Nenhum comentário

ACE Itaúna e CDL Itaúna realizam o curso Auxiliar de Recursos Humanos

A ACE Itaúna e a CDL Itaúna realizam nos dias 19, 20, 21, 26 e 27/05, de 19 às 22h, no Edifício CDE, o curso Auxiliar de Recursos Humanos. O treinamento será ministrado pelo instrutor Clayton Pereira.

O curso terá como conteúdo: Papel do profissional de RH – Recrutamento e seleção, Recrutamento interno e Recrutamento externo; Administração de pessoal – Contrato de trabalho, Determinado/indeterminado, Proventos da folha, Férias e Rescisão; Treinamento e desenvolvimento – Levantamento de necessidade, Avaliação do treinamento e Aplicabilidade.

Para mais informações e inscrições, interessados devem entrar em contato com o setor de Educação das entidades pelos telefones (37)3249-1751 ou 3249-1753, ou ainda no Edifício CDE, localizado na Rua Cap. Vicente, 129, Centro – Itaúna-MG.

maio 14, 2015

Nenhum comentário

Inadimplência do consumidor fecha abril em alta

De março para abril cerca de 600 mil consumidores foram negativados. Aumento da inflação e das taxas de juros aliado à piora nos índices de emprego dificultam o pagamento das dívidas.

O indicador de dívidas em atraso apresentou, em abril, um aumento de 2,83% em relação a março – o maior crescimento para o mês desde o começo da série histórica, em 2010, de acordo com o banco de dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Na comparação com abril do ano passado, houve alta de 5,02%, o que mostra uma aceleração, já que em março a alta havia sido de 3,46% em relação ao mesmo mês de 2014.

O número de devedores também teve alta em abril, tanto na comparação mensal quanto anual. Em relação ao mês anterior, a base de inadimplência avançou 1,16%; já na comparação com abril do ano passado, a alta foi de 3,77% – muito similar aos 3,76% verificados em março de 2015 ante o mesmo mês do ano anterior.

Quatro em dez brasileiros estão inadimplentes

O SPC Brasil estima que, entre março e abril de 2015, cerca de 600 mil consumidores foram incluídos em listas de devedores negativados. Com este resultado, já são 55,3 milhões de devedores, número equivalente a 37,9% da população entre 18 e 95 anos.

Segundos os especialistas do SPC Brasil, os dados apurados mostram que a pressão exercida pela alta da inflação, pelo aumento das taxas de juros e pela piora dos indicadores econômicos, como renda e emprego, se sobressaíram à queda na base de crédito da economia, resultando no avanço no número de devedores.

“Os bancos passaram a ser mais rigorosos na hora de conceder financiamentos, mas com o desemprego atingindo níveis mais altos e a inflação subindo, o consumidor fica com maior dificuldade para pagar suas pendências”, explica Honório Pinheiro, presidente da CNDL.

“A aceleração da inflação faz com que o planejamento financeiro seja prejudicado, já que há perda constante do poder de compra. Além disso, a escalada nas taxas de juros encarece as parcelas”, afirma Pinheiro.

Dívidas atrasadas em até 180 dias avançam 6,99% em abril

A variação mensal do número de dívidas em atraso, que teve alta de 2,83% em abril, tem como destaque as pendências em atraso entre 90 e 180 dias, que avançaram 6,99%, e as dívidas com até 90 dias de atraso, que cresceram 5,71%.

Em relação a abril de 2014, a faixa que registrou maior variação foi das dívidas com 3 a 5 anos de atraso, com aumento de 14,59%, e que contribuiu com 4,09 pontos percentuais para a alta de 5,02% do indicador.

Comunicação lidera os segmentos com dívidas atrasadas

A abertura dos credores das dívidas mostra o segmento de Comunicação liderando a alta anual do número de pendências: em abril, o setor apresentou um aumento de 12,10% do total de dívidas.

No entanto, a segunda maior variação, que vinha sendo registrada pelo segmento de Água e Luz, foi substituída pelo setor de Bancos, cuja variação anual foi de 7,53%. O Comércio, por sua vez, recuou 0,32%.

No total de dívidas em atraso, o segmento de Bancos continua liderando com 48,43% de participação – quase metade das dívidas. Em seguida, aparece o Comércio, com 20,10%, e Comunicação, com 15,23%.

maio 6, 2015

Nenhum comentário

47% dos brasileiros esperam um ano difícil na economia em 2015, diz SPC Brasil

Com a economia mais fraca, 53 % dos consumidores diminuirão o número de compras parceladas em 2015 e 56% deixarão de consumir produtos supérfluos.

Para quase a metade dos brasileiros, 2015 deve ser um ano difícil no cenário econômico. É o que mostra uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal Meu Bolso Feliz sobre a percepção e expectativas dos consumidores em relação a situação atual da economia e sobre os impactos no consumo e tomada de crédito.

O estudo revela que 47% dos entrevistados esperam uma situação pior em comparação com o ano passado, principalmente entre as classes A e B e pessoas com maior escolaridade.

Os dados também mostram que, para os consumidores, as consequências diretas do cenário econômico atual são a restrição ao consumo e a redução das compras parceladas.

53% dos consumidores diminuirão as compras parceladas

Entre os principais desdobramentos da piora do cenário econômico atual está a diminuição de compras parceladas – para 53% dos brasileiros.

De acordo com a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, essa impressão generalizada de que a economia está piorando é apenas reflexo da realidade. “A inflação cada vez mais alta, aliada às taxas de juros elevadas, faz com que os consumidores pisem no freio na hora de consumir”, diz.

“Fazer transações com o valor dividido mantém a dívida e o comprometimento da renda por meses. O melhor jeito encontrado pelos consumidores para evitar isso é a diminuição nas compras a prazo”, explica Kawauti.

Outra consequência da situação econômica é a restrição ao consumo. Segundo a pesquisa, 56% dos consumidores afirmam que deixarão de consumir produtos e serviços que não precisam a fim de economizar. “O principal corte na hora de rever o orçamento são os gastos supérfluos – e muitas vezes os valores desses produtos ajudam a ter uma forte economia no orçamento.”, reforça Marcela.

“O momento econômico pede cautela e vale se prevenir contra imprevistos, como o temido desemprego, diminuindo o consumo para economizar e iniciando uma reserva financeira”, indica a economista.

Para 34%, conseguir crédito está mais difícil que em 2014

De acordo com os dados levantados, um terço (34%) avalia de forma negativa o acesso ao crédito. Praticamente quatro em cada dez (37%) consumidores dizem sentir dificuldades em usufruir de alguma forma de pagamento – sobretudo no caso do cheque pré-datado.

 

Foi investigado na pesquisa que quando essa dificuldade aparece, 37% dos entrevistados desistem da compra e 30% fazem o pagamento à vista. A maioria dos consumidores (66%) revela já ter recebido ofertas para pagar compras à vista em dinheiro.

“Com o acesso ao crédito mais difícil, a perda de vendas dos lojistas pode chegar a 45% das compras, entre aqueles que encontram dificuldades no uso de cartão de crédito, crediário, cheque pré-datado ou na obtenção de financiamento. Isso porque muitos consumidores deixam de lado alguns produtos que a princípio tinham intenção de comprar”, analisa a especialista do SPC Brasil.

Outro dado importante identificado no estudo é a percepção para 57% dos consumidores de que as taxas de juros cobradas em 2015 estão maiores que no ano passado, principalmente entre os homens e pessoas das classes A e B, e com maior escolaridade.

Também é expressivo o percentual daqueles que não sabem responder a respeito – 33% dos entrevistados. “Isso representa uma grande parte dos consumidores que não tem muita noção de como a economia está e desconhecem as taxas cobradas no dia a dia”, conclui Kawauti.

Metodologia

Foram ouvidas 642 pessoas das 27 capitais brasileiras, com idade igual ou superior a 18 anos, de ambos os sexos e de todas as classes sociais.

A margem de erro é de 3,8 pontos percentuais e a confiança é de 95%. Os dados foram pós-ponderados para ficarem representativos ao universo estudado.

Fonte: SPC Brasil