Janeiro 29, 2015

Nenhum comentário

Olavo Machado Jr. assume a presidência do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas

A posse da nova diretoria do Sebrae Minas aconteceu no último dia 15/01, realizada nas novas instalações da sede do Sebrae, em Belo Horizonte, reunindo cerca de 600 convidados, com presença do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, além de autoridades políticas e empresariais de todo o Estado. Marco Antônio de Oliveira participou do evento representando a CDL Itaúna e demais entidades do CDE.

Olavo Machado Júnior, atual presidente da Federação das Indústrias do estado de Minas Gerais (Fiemg), assumiu o cargo de presidente do conselho deliberativo do Sebrae e vai ficar à frente da instituição até 2018. O governador do estado, Fernando Pimentel (PT), participou da cerimônia que também deu posse aos novos membros do conselho fiscal e da diretoria executiva do Sebrae.

Em seu discurso de posse, Olavo Machado Junior afirmou que seu objetivo à frente da instituição será “orientar e traçar metas para transformar as MPE’s em grandes organizações, geradoras de emprego e desenvolvimento”.

Entre os desafios da nova gestão, o combate à informalidade, a ampliação do acesso ao crédito e a oferta de mão de obra mais qualificada às MPE’s. E foi categórico em sua interpretação sobre a real necessidade do segmento.

“É preciso desmistificar falsos conceitos: ser micro e pequeno é apenas um estágio”, frisou, ao falar sobre a urgência de medidas que desburocratizem e equacionem as obrigações fiscais e tributárias, para facilitar a trajetória de crescimento dos pequenos negócios.

Marco Antônio de Oliveira, diretor Comercial da CDL Itaúna, cumprimentou o presidente empossado. “Em nome das entidades do Centro de Desenvolvimento Econômico e Social de Itaúna, desejo sucesso nesta nova jornada”, declarou.

Fonte: FCDL-MG/CDL Uberaba

Janeiro 29, 2015

Nenhum comentário

ACE Itaúna e CDL Itaúna realizam dois treinamentos em fevereiro

A ACE Itaúna e a CDL Itaúna realizam no mês de fevereiro os cursos Estratégias de Cobranças, com o instrutor Thiago Oliveira e Silva, e Noções Básicas de Primeiros Socorros, com André Pires. Os cursos oferecidos fazem parte da Agenda de Treinamentos das entidades.

O curso Estratégias de Cobrança terá o seguinte conteúdo: O crédito e o varejo; Manual do calote e perfil do golpista; O cadastro como ferramenta para cobrança; Reduzindo a inadimplência com a análise de crédito; Cobrança eficaz.

Já o curso de Noções Básicas de Primeiros Socorros abordará sobre os aspectos legais e éticos, sinais vitais, isolamento de fluidos corporais, avaliação da cena, crise convulsiva, hemorragias, fratura, imobilizações, rolamento em prancha, queimaduras, animais perigosos e peçonhentos, entre outros.

Para mais informações e inscrições, interessados devem entrar em contato com o setor de Educação e Desenvolvimento pelo telefone (37)3249-1751, ou no Edifício CDE, localizado na Rua Capitão Vicente, 129, Centro – Itaúna-MG.

Janeiro 29, 2015

Nenhum comentário

Confiança do consumidor atinge mínima histórica, aponta FGV

Indicador recuou 6,7% de dezembro para janeiro. 61,8% consideram situação atual ruim, e 39% preveem piora.

 

O início do ano é de pessimismo para os brasileiros. Segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV), a confiança dos consumidores atingiu, em janeiro, 89,8 pontos – o menor nível da série histórica da entidade, que tem início em setembro de 2005. Na comparação com dezembro, houve queda de 6,7% no indicador.

“A queda do ICC em janeiro dá sequência à tendência observada ao longo do ano passado e parece refletir aumento da preocupação com o mercado de trabalho e com a inflação”, afirma, em nota, Tabi Thuler Santos, economista da FGV/Ibre.

Segundo a entidade, houve piora tanto na percepção da situação atual quanto das expectativas, levando os dois índices a suas mínimas históricas.

De dezembro para janeiro, o Índice de Situação Atual (ISA) caiu 8,6%, influenciado principalmente pelo indicador que mede o grau de satisfação com a situação econômica atual: a fatia dos que a consideram boa recuou de 8,7% em dezembro para 6% este mês, enquanto a dos que a consideram ruim aumento de 54,6% para 61,8% no mesmo período.

O Índice de Expectativas, por sua vez, recuou 6,2% de dezembro para janeiro. A parcela dos consumidores que prevê melhor nos próximos seis meses diminuiu de 23,3% para 16,6%, enquanto a dos que preveem piora passou de 30,8% para 39% do total.

Fonte: FGV